Simão confiante

Foto: Erlan Araújo/Divulgação

O prefeito Simão Durando (UB) assumiu o cargo em abril de 2022 tendo como missão substituir Miguel Coelho (UB) que, além de integrar um dos grupos políticos mais fortes de Pernambuco, saiu da Prefeitura para concorrer ao Governo Estadual. Não venceu, mas obteve uma expressiva votação. Coube a Simão tornar-se mais conhecido junto à população, dar continuidade à gestão e se credenciar para tentar se manter no cargo nas eleições municipais deste ano. Em conversa com o editor desta coluna e do Blog Dantas Barreto, o prefeito se mostrou confiante. “O ano de 2023 foi de trabalho, desafios e olhar para o futuro. Petrolina sempre soube escolher quem realmente trabalha pela cidade. Temos equipe e um grupo que pensa no município 24 horas por dia. Então, quem vai avaliar é a população”, disse o gestor. Ele cita como resultados o primeiro hospital municipal, o programa de pavimentação de ruas com investimentos de R$ 122 milhões, obras da BR-407, e em breve as inaugurações do Centro de Convenções e do teatro municipal. De quebra, Petrolina terminou 2023 como o município com a terceira maior população de Pernambuco com 386.791 habitantes, numa demonstração de que é atrativo do ponto de vista econômico.

Ex-prefeitos na concorrência

Entre os principais concorrentes de Simão Durando em Petrolina estão os ex-prefeitos Odacy Amorim (PT) e Júlio Lóssio. O deputado federal Lucas Ramos (PSB), que vinha animado, teve seu projeto brecado com a aliança do grupo Coelho com o prefeito do Recife, João Campos (PSB).

Vida fácil

Levantamento do Radar do Congresso mostra que 72% dos deputados federais votaram a favor das propostas do Governo Lula. Entre os partidos com representantes, 10 são extremamente governistas. PL e Novo, extremamente oposição.

Guerra eleitoral

O mundo acompanhará duas eleições, neste ano. Na Rússia, Vladimir Putin não terá dificuldade para se manter no cargo que está há 20 anos. Nos EUA, Joe Biden tentará se reeleger e tem como adversário Donald Trump.

Ressuscitou adversário

Em Quipapá, com a renúncia de Alvinho Porto ao cargo de prefeito, seu antecessor Cristiano Martins ganhou mais força para a disputa deste ano. O então vice-prefeito Pité (Podemos) assumiu a Prefeitura, dia 29 de dezembro, com a missão de manter o grupo liderado pelo deputado Álvaro Porto (PSDB) no comando do município.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade