Retaliação da Google

A Google decidiu economizar dinheiro com advogados no Brasil e, a partir de maio, não permitirá o impulsionamento de notícias que tenham conteúdos políticos. Ou seja, quando se fizer buscas no Google Ads e YouTube sobre um determinado candidato, a notícia poderá não ser encontrada. A decisão da empresa se deu após a resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que vedou a comercialização de impulsos e radicalizou contra a veiculação de informações inverídicas ou que possam prejudicar o processo das eleições. Especialista em Direito Eleitoral, o advogado Pablo Bismarck avalia que a atitude da Google é uma retaliação à resolução do TSE. “A empresa teria de contratar um exército de advogados para se defender. São milhares de candidatos nos mais de cinco mil municípios do Brasil. Em cada um, vai ter juiz determinando a retirada de conteúdos. É um custo enorme”, observa. Bismarck avalia que todos sairão perdendo, inclusive a Google que já ganhou muito dinheiro em eleições passadas com impulsionamentos de notícias. Perdem os candidatos com menor estrutura porque terão menos divulgação e aqueles com mais recursos, que têm condições de gastar mais. Contudo, a empresa Meta, que detém o WhatsApp, Instagram e Facebook ainda não se pronunciou sobre como agirá no período eleitoral brasileiro. Em tempos de campanha virtual e de fake news, a Justiça Eleitoral está tomando todos cuidados para garantir a lisura do pleito municipal, porém deixa a dúvida sobre se há ou não censura prévia.

Sem punição e sem aumento

O presidente Lula disse que nenhum servidor federal será punido por fazer greve durante seu Governo, ao lembrar que “nasceu” nos movimentos grevistas. “Mas eles vão ter que compreender que a gente só vai dar o que a gente pode dar”, disse. A proposta do Governo é 0% neste ano, 9% em 2025 e 3,5% em 2026. Atualmente, 24 instituições estão com os serviços paralisados no País.

Fazendo as contas

Os deputados estaduais estão fazendo as contas sobre quantos votos terão os governistas e opositores, na hora que o projeto que extingue as faixas salariais chegar ao plenário. Numa conta rápida, o Governo teria, no mínimo, 28 deputados favoráveis.

Bomba em Macaparana

Rompido com o prefeito de Macaparana, Paquinha (PP), o pré-candidato Zé Ivaldo (PL) promete revelações, às 19h22 de amanhã, nas redes sociais. Os alvos serão o próprio Paquinha e o deputado estadual Antônio Moraes (PP). O liberal diz que foi traído.

Mania de parar obra

Os gestores brasileiros têm uma mania danada de iniciar obra e não dar continuidade. O que ocorre em Pernambuco será apresentado hoje pelo TCE. Levantamento mostra que, só em 2023, havia no Estado mais de 1.500 contratos paralisados ou estagnados, que já consumiram R$ 1,5 bilhão dos cofres públicos. Esse balanço está marcado para as 9h.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade