Presidente da Amupe critica cassação de vereadores por fraudes na cota de gênero

Foto: Divulgação/Amupe

O presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) e prefeito do município de Paudalho, Marcelo Gouveia, criticou a recente cassação de vereadores em Jaboatão dos Guararapes e Olinda como punição por fraudes das cotas de gênero cometidas pelos partidos que os elegeram nas últimas eleições.

Segundo Gouveia, os vereadores não têm controle das candidaturas do partido no município, nem sabem quem está ou não fazendo campanha, não havendo envolvimento para justificar a perda de seus mandatos. “Quem está pagando a conta é o vereador quando o erro não foi dele, foi do partido. O entendimento está equivocado. Quem deveria ser penalizado é o partido”, disse o municipalista em entrevista à Rádio Folha nesta terça-feira (9).

O gestor avalia que a punição precisa ser direcionada aos partidos como entidades, através de consequências alternativas à cassação dos eleitos, como uma penalidade no fundo eleitoral.

“Não somos obrigados a concordar com o entendimento da Justiça. Tem outras formas de punir. Como um candidato pode responder por todas as candidaturas do partido? Inclusive, tem casos do candidato ficar inelegível além de perder o mandato. Isso precisa ser revisto”, declarou.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade