Pré vira campanha

A pré-campanha eleitoral, ou seja, aquele momento que ainda não faz parte do calendário estabelecido pelo Tribunal Superior de Eleitoral (TSE), já está a todo vapor. No entanto, ao pé da letra, nenhum dos pretendentes aos cargo de prefeito e vereador poderia estar falando de candidatura, muito menos pedir votos. Mas isso fica no papel. Diariamente, o que mais se ouve é fulano, sicrano e beltrano dizendo que já está correndo atrás dos eleitores, circulando pelas ruas dos municípios, usando redes sociais, dando entrevistas. Ou seja, agindo como se as convenções já tivessem ocorrido. As tais convenções vão de 20 de julho a 5 de agosto, quando começa de verdade a campanha eleitoral. Contudo, evidentemente, ninguém vai denunciar ninguém à Justiça porque estaria dando um tiro no próprio pé. E a Justiça Eleitoral, nessa fase pré, só age se for provocada. Assim, segue o fluxo em todas as cidades do País. Só lembrando que o senador Sérgio Moro (UB-PR) está prestes a ter mandato cassado, não por conta dos erros cometidos quando estava à frente da Operação Lava Jato, mas por abuso de poder econômico no período em que estava na pré-campanha para presidente da República, ainda filiado pelo Podemos. A candidatura não vingou, ele trocou de partido e foi eleito senador. PL, PT, PCdoB e PV se apegaram justamente à fase da pré-campanha, o denunciaram e a Procuradoria Regional Eleitoral do Paraná deu parecer favorável. Moro hoje já é visto como ex-senador.

Pedro e Sileno em ação

Os deputados Pedro Campos e Sileno Guedes estiveram em Arcoverde e Custódia para consolidar as articulações do PSB em torno das candidaturas majoritárias de Madalena Brito e Luciara de Nemias, respectivamente. Também foram a Sertânia com a mesma intenção. O município é administrado por Ângelo Ferreira, que não pode disputar a reeleição e ainda está definindo quem apoia.

Agenda de Lula

Hoje tem reunião entre representantes do PT, PSB, CUT, Fetape e outras lideranças com emissários do Palácio do Planalto para montar a agenda política do presidente Lula, na sua passagem por Pernambuco, quinta e sexta-feira. Além da agenda administrativa.

Expectativa

Na troca de comando do militar do Nordeste com a presença do presidente Lula, sexta-feira, também está prevista a apresentação dos detalhes sobre a compensação ambiental para confirmar a Escola dos Sargentos do Exército em Pernambuco. Esse é o grande impasse.

Pelo fim da indicação

O STF virou um alvo para os críticos, não importa de que lado seja, e a indicação política é um dos principais motivos para isso. Ontem, ao dar entrevista à CBN, o desembargador aposentado Adeildo Nunes defendeu o fim da escolha por parte do presidente da República. E que o STF seja um tribunal constitucional. “Hoje tudo vai para o Supremo”, reclamou.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade