Podemos chegou

A entrada do Podemos no secretariado da governadora Raquel Lyra (PSDB), hoje, não chega a causar impacto como foi o PSD e o PDT. O primeiro integrava a gestão do prefeito João Campos (PSB) e optou pelo rompimento. Já os pedetistas mantêm cargos na Prefeitura do Recife. Sem contar o histórico de rivalidade entre os Lyra e os Queiroz em Caruaru. Já o Podemos, nas eleições de 2022, ficou com Miguel Coelho (UB) e aliou-se a Raquel, no segundo turno. Houve especulações de bastidores quando o ex-senador Armando Monteiro Neto decidiu trocar o PSDB pela legenda, por não ter sido contemplado com nada, apesar do apoio dado à então candidata. Mesmo assim, a governadora, sua vice Priscila Krause (Cidadania) e muitos aliados prestigiaram o ato de filiação de Armando. A relação de Raquel com o Podemos se manteve estável e, pelo visto, as conversas avançaram muito. Ela nomeia Cícero Moraes na Secretaria de Desenvolvimento Agrário e, assim, tudo volta à paz com o ex-senador. Além disso, o presidente do Podemos, Marcelo Gouveia, é prefeito de Paudalho e, no final de março, assumirá o comando da Amupe. Tem outra questão: Raquel sempre conta com os votos favoráveis do deputado estadual e primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, Gustavo Gouveia. Ele é filiado ao Solidariedade, mas deve assinar a ficha do partido presidido pelo irmão, assim que tiver chance. Por outro lado, o Podemos chega ao primeiro escalão sem um deputado estadual ou federal, assim como o PSD e PDT. Não é à toa que partidos com maior representatividade aguardam por uma secretaria.

Célia busca substituto

A prefeita de Ipojuca, Célia Sales (PP), foi comunicada no sábado de que seu secretário de Articulação Política, Cícero Moraes, iria para o Governo do Estado. Até ontem, a gestora avaliava se faria uma dança das cadeiras ou colocaria alguém de fora para substituí-lo. É ano de eleição e a Articulação Política tem papel importante nisso.

Volta ao trabalho

O Congresso Nacional retoma os trabalhos, de verdade, nesta semana, com uma pauta extensa e espinhosa, a exemplo da desoneração da folha de pagamento de 17 setores da economia. Ainda não há entendimento com o Governo Lula, que deseja arrecadar mais.

Sucessão nas Mesas

Outra questão que vai esquentar em Brasília é a sucessão das Mesas Diretoras da Câmara e do Senado. O deputado Arthur Lira (PP-AL) tenta fazer o sucessor, mas, evidentemente, o Planalto quer alguém que garanta um clima mais ameno entre os poderes.

PP fará reunião hoje

O presidente do PP, deputado Eduardo da Fonte, reúne deputados e alguns prefeitos, na tarde de hoje, para tratar de assuntos referentes às eleições municipais. Mas é possível que alguém coloque na mesa a cobrança sobre ocupação de espaço no secretariado do Governo do Estado.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade