PF faz ação para investigar ameaças sofridas pelo presidente do União Brasil

Foto: Arquivo/DP

Do Diario de Pernambuco

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta terça-feira (7), uma ação para investigar ameaças sofridas pelo presidente do União Brasil (UB), Antonio Rueda. Em março deste ano, casas de praia pertencentes ao político foram danificadas por um incêndio, em Toquinho, no Litoral Sul pernambucano. 

 Segundo a PF, a Operação Stasis cumpre cinco mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, no interior de Pernambuco.

 Os nomes das cidades são foram divulgados pela PF em Pernambuco. A corporação disse, ainda, que todas as informações serão repassadas em Brasília.

Ainda segundo a PF, as investigações tiveram início na Polícia Civil do Distrito Federal. Com o declínio da competência para o STF, a investigação ficou a cargo da  Policia Federal.

Como foi

 As casas de praia do novo presidente nacional do partido União Brasil (UB), Antônio Rueda, e da irmã dele, Maria Emília Rueda, foram incendiadas na noite de 11 de março. O caso aconteceu após Antônio Rueda registrar ocorrência sobre as ameaças de morte que recebeu.

 O presidente do União Brasil estava em Miami, nos Estados Unidos, quando foi informado do incêndio. Vídeos que circularam nas redes sociais mostram os imóveis destruídos após terem sido atingidos pelas chamas. Dias depois, a polícia identificou indício de crime no incêndio.

A informação foi divulgada pelo secretário de Defesa Social de Pernambuco, Alessandro Carvalho, durante uma coletiva de imprensa. “Há indícios, sim, de que pode ter sido criminoso, porque foram duas casas que foram incendiadas. Mas, neste momento, é só este indício que nos leva a crer que o incêndio foi criminoso”, disse o secretário.

 Além da casa do presidente do União Brasil, criminosos também teriam ateado fogo na casa da irmã dele, que fica ao lado da residência de Antônio Rueda. No momento do incêndio, não havia ninguém nos imóveis.

Histórico

 Antônio Rueda foi eleito o novo presidente do União Brasil no dia 29 de fevereiro. Em 28 de fevereiro, um dia antes de ser eleito para chefiar a legenda, Antônio Rueda apresentou uma representação criminal contra o deputado federal Luciano Bivar, na Delegacia Especial de Crimes Cibernéticos (DRCC) da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), para cobrar a investigação das supostas ameaças.

 Antônio relatou à polícia que Bivar falou com ele, na noite em questão, por meio do telefone do deputado federal Marcelo Freitas (União-MG), que intermediou o contato.

Na sequência do vídeo, gravado por Florinda, esposa de Rueda, o denunciante disse a Freitas que aquele era o motivo pelo qual evitava falar com Luciano e que, diante da ameaça, procuraria a polícia no dia seguinte. 

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade