Megaoperação cumpre 43 mandados de prisão e de busca e apreensão em investigação de lavagem de dinheiro

Foto: Reprodução/PCPE

 

Com informações do Diario de Pernambuco

 

Uma megaoperação policial foi deflagrada na manhã desta quarta (20), para cumprir 12 mandados de prisão e 31 de busca e apreensão em diferentes regiões do Grande Recife.

 O objetivo da Operação “Placement”, a 91ª ação de repressão qualificada da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) deste ano, foi desarticular uma organização criminosa especializada em esquemas de lavagem de dinheiro. 

 Os alvos são empresários, onde os mandados de prisão e busca e apreensão foram cumpridos no condomínio de luxo conhecido como “Torres Gêmeas”, no Bairro de São José, na área Central do Recife no Edifício Akropolis, em Boa Viagem, na Zona Sul da cidade; além de três concessionárias de venda de carros no Pina, na Zona Sul da capital, em cinco lotéricas,sendo uma delas em Olinda, na Região Metropolitana do Recife (RMR) e quatro no Recife.

Os nomes dos suspeitos presos não foram divulgados pela corporação. Os policiais apreenderam um grande montante de dinheiro, todos armazenados em malotes, que ainda estão sendo contabilizados. Além disso, foram apreendidos carros de luxo, embarcações, motocicletas, computadores, celulares, relógios de luxo, e documentos.

Em um vídeo disponibilizado pela polícia mostra policiais contabilizando o dinheiro que estava guardado em malotes encontrados na lotérica que foi alvo das buscas e apreensões. 

 Tudo isso foi levado para a sede do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), em Afogados, na Zona Norte do Recife, e para o Departamento de Repressão aos Crimes de Corrupção (Dracco), no Barro, na Zona Oeste da capital. 

 De acordo com a polícia, as investigações foram iniciadas em abril de 2023. Também foram cumpridos mandados de sequestro de bens e valores e bloqueio de ativos financeiros. Todos os mandados foram expedidos pela 12ª Vara Criminal da Capital. Eles foram cumpridos no Recife, Olinda e Igarassu. 

Participam da megaoperação um efetivo de 210 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. As investigações foram assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (Dintel), e pelo Laboratório de Lavagem de Dinheiro (LAB-PCPE).

Houve apoio operacional do Comando de Operações Recursos Especiais (CORE), Corpo de Bombeiros (CBMPE, do Centro de Monitoramento. Eletrônico de Pessoas (CEMEP) e da Instituição Financeira Banco do Brasil.

Segundo a polícia, uma coletiva à imprensa para detalhar a operação será realizada em “momento oportuno”. 

 

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade