Izabel Urquiza aposta no desgaste da gestão de Olinda e na força do PL

Foto : Rafael Vieira/ DP

Pré-candidata a prefeita de Olinda, Izabel Urquiza diz que aposta em fatores que podem ser determinares para a sua vitória, nas eleições de outubro. Segundo ela, tem o desgaste da gestão do prefeito Professor Lupércio (PSD), a força do PL e a sua experiência em gestão pública. Para isso, vem dedicando seu tempo para ir às ruas e montar uma chapa competitiva de candidatos a vereador. Nesta segunda-feira (25), Izabel visitou o Diario de Pernambuco e ressaltou a intenção de fazer algo diferente, se chegar à Prefeitura.

“A gente tem que discutir o cenário local porque o olindense está sofrendo na infraestrutura, educação, saúde. O sentimento hoje é de mudança. Sou de Olinda, tenho experiência e trabalho para mostrar. Se a gente vem com uma candidatura inovadora, mostrando experiência, o eleitor vai ter essa alternativa. O PCdoB já teve a oportunidade e a atual gestão teve oito anos para mudar a realidade de Olinda”, salientou Izabel.

Especialista em captação de recursos por ser funcionária da Caixa nessa área, a pré- candidata lamenta que a atual gestão não aplicou R$ 50 milhões liberados pelo Governo Federal em obras de contenção de encostas. E que o município perdeu R$ 45 milhões do PAC Cidades Históricas. “Olinda é uma cidade singular na Região Metropolitana. Tem patrimônio e potencial para atrair mais turistas. Recebe muitos visitantes, que tiram fotos e vão embora. A solução é o poder público criar condições para os empreendedores, facilitar a abertura e regularização de empresas de pequenas e médias. Isso é que gera empregos”, disse.

Do ponto de visto eleitoral, Izabel Urquiza avalia que há um cenário aberto para debater a cidade, ficando de lado o embate da polarização nacional. Por isso acredita que tem potencial de crescimento ao longo da campanha. Ela prevê que a federação PT/PCdoB/PV terá uma candidatura e se for a ministra Luciana Santos, aí sim pode ser que os fatores nacionais entrem no circuito. Mesmo assim, lembra que o candidato do PL ao Governo do Estado de quem foi vice, Anderson Ferreira, foi o mais votado na cidade e Raquel Lyra (PSDB) ficou em segundo lugar, no primeiro turno de 2022.

“Se dependesse de Olinda, Anderson seria governador e a vice. Hoje temos o maior partido do Brasil, apoio das direções nacional e estadual. E Michelle Bolsonaro vai apoiar candidaturas femininas em todo o País. Vamos trabalhar para ter mulheres candidatas que se identificam com os valores que o PL defende, assinalou.

Quando à governadora Raquel Lyra (PSDB), Izabel acredita que ela vai ficar neutra na eleição de Olinda pelo fato de outros partidos aliados também estarem na disputa. Amanhã, a pré-candidata governista, Mirella Almeida, se filia ao PSD, o vice-prefeito Márcio Botelho é pré-candidato pelo PP e o PDT anunciou Manoel Sátiro.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade