Governo do Estado informa que já economizou R$ 683 milhões com despesas

Foto: Hesíodo Góes/Secom

 

Relatório da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), divulgado na noite desta quinta-feira (21), apontou Pernambuco como o segundo estado a economizar nas despesas, entre janeiro e outubro deste ano. Os cálculos indicam que a redução dos gastos chegou a 3%, enquanto os demais estados tiveram aumento médio de 10,2%. Somando com a diminuição que houve em novembro, a economia já é de R$ 683 milhões.

“O desafio do ano de 2023, de organizar a casa, mudar a forma como Pernambuco gasta o dinheiro pago dos impostos, foi vencido. Os dados do relatório do Tesouro Nacional confirmam o nosso esforço para arrumar as contas e direcionar os recursos para quem mais precisa. Reduzimos gastos desnecessários, revertemos o déficit e vamos iniciar 2024 com a possibilidade de colocar todo o potencial da receita pública pernambucana num plano de investimento histórico. A economia conquistada é decisiva para a mudança que Pernambuco precisa”, afirmou a governadora Raquel Lyra. 

O Governo ressalta que por meio do Plano de Qualidade do Gasto Público, lançado em 5 de janeiro de 2023, foi possível alcançar uma maior eficiência da máquina pública com economia, mas sem prejudicar as despesas envolvendo a manutenção de serviços essenciais.

Apenas em relação a cinco categorias de despesas, a economia foi de R$ 79,16 milhões de janeiro a novembro. A maior redução se refletiu nos gastos com consultorias (R$ 52,54 milhões), seguidas de combustíveis (R$ 15,92 milhões), diárias (R$ 4,09 milhões), hospedagens (R$ 3,32 milhões) e passagens (R$ 3,29 milhões). Nas áreas prioritárias, houve reforço orçamentário. Os aportes cresceram na saúde (7,32%), educação (8,89%) e segurança (5,69%), representando uma soma de R$ 536,4 milhões a mais no orçamento das três áreas. 

Ainda conforme o Governo, os recursos economizados ajudaram a garantir estabilidade fiscal neste ano, já que houve uma queda real de cerca de R$ 1 bilhão na arrecadação de ICMS, uma frustração de receita do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e, no âmbito das despesas, um incremento recorde no País de despesas com pessoal, também apontado pelo Tesouro Nacional, durante o ano de 2022.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade