Cada vez mais líder

Foto: Divulgação/Prefeitura do Recife

Ainda faltam sete meses para as eleições municipais e a cada pesquisa de intenções de votos que é divulgada, o prefeito João Campos (PSB) aparece com o caminho livre para mais um mandato no Recife, vencendo logo no primeiro turno. Ontem, saiu mais uma, do Instituto Paraná Pesquisa, veiculada pela TV Tribuna. Dependendo do cenário, ele chega a 70,2%. Nesse caso, os adversários seriam o secretário Daniel Coelho (Cidadania), o ex-ministro Gilson Machado (PL) e o deputado federal Túlio Gadelha (Rede). Nos demais cenários, onde são colocados os deputados estaduais João Paulo (PT) e Dani Portela (Psol), o socialista supera com folga a casa dos 60%. A aprovação de 81,2% sinaliza que a população recifense está gostando da sua administração e, como marqueteiro que é, João vem sabendo explorar a sua imagem de bom gestor e boa praça junto à população. Como foi dito antes, ainda faltam sete meses para as eleições, os atuais pré-candidatos podem reagir de alguma forma, outros nomes devem surgir, vem um inverno pela frente e tem aquele fator chamado de imponderável, que de vez em quando aparece no período eleitoral. Digamos que João Campos precisa administrar a vantagem e, evidentemente, continuar focado, até o dia 6 de outubro, para manter a distância necessária e chegar à vitória.

Banho também na espontânea

Na pesquisa espontânea, o prefeito João Campos também dá um banho na concorrência. O levantamento do Paraná Pesquisa aponta que o socialista é citado por 30,8% dos entrevistados. O adversário mais próximo é Gilson Machado, lembrado por 1,5%. João Paulo aparece com 1% e os demais ficam abaixo disso. São dados de suma importância.

Cabos eleitorais

O Instituto Paraná Pesquisa mostra que, no Recife, o presidente Lula é o melhor cabo eleitoral, já que 32,3% dos eleitores votariam num candidato indicado por ele. Mas, 20,4% preferem alguém apontado por Jair Bolsonaro. Já 13% optam por um aliado de Raquel Lyra.

Sinal de alerta

A governadora Raquel Lyra tem uma reprovação elevada no Recife, 58%, bem diferente de abril de 2023, quando tinha 63% de aprovação. Mais um sinal de alerta ao Palácio do Campo das Princesas de que são necessárias reações administrativas e políticas.

Faixas da discórdia

A futura extinção das faixas salariais dos PMs e Bombeiros vem sendo aproveitada pela oposição para criticar o prazo de 2026, justamente ano de eleição. Os aliados do Governo Raquel alegam que os opositores esquecem que os governos do PSB não tomaram essa iniciativa e que envolve muito dinheiro para fechar a conta.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade