Foto: Rômulo Chico/DP

Ranilson apoia Raquel

A governadora Raquel Lyra (PSDB) já avisou que não reduzirá a alíquota do ICMS para 17% e recebeu um aval de peso. O presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Ranilson Ramos, avalia que ela está correta em manter os 20,5%, enquanto a Reforma Tributária não é completamente regulamentada. Durante entrevista ao Diario de Pernambuco e ao Blog Dantas Barreto, o conselheiro disse que, se Raquel voltasse atrás, haveria um prejuízo de R$ 800 milhões ao ano para os municípios. “É preciso aguardar a lei complementar e a regularização da reforma tributária. A governadora não pode retroceder. Quando a reforma estiver toda definida, pode-se ver isso. O prazo é 2028”, enfatiza Ranilson. Dessa forma, o presidente do TCE se despede do cargo, na próxima segunda-feira (1º de janeiro), selando a paz com Raquel Lyra. Foi justamente ele que provocou toda aquela discussão sobre a “omissão” de R$ 1,1 bilhão no projeto orçamentário enviado pela governadora à Assembleia Legislativa. Ranilson mostrou que havia falhas nos cálculos do Governo que afetariam os orçamentos do TCE, TJPE, MPPE e Defensoria Pública. Raquel não gostou da situação porque não acreditava e continua sem crer no aumento de 18,4% do Fundo de Participação dos Estados (FPE), como prevê a Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Depois de alguns duros embates, ficou valendo a emenda de R$ 1,1 bilhão, dos quais R$ 800 milhões serão aplicados pelo Estado na Educação, Saúde e Segurança.

Culpa de Dilma Rousseff

Ranilson Ramos elenca três situações provocadas pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que provocaram dez anos de atraso para a economia de Pernambuco. O não andamento da obra do Arco Metropolitano por falta de planejamento. A perda da autonomia de Suape que impediu a antecipação da dragagem do porto. E a paralisação das obras das barragens de contenção de enchentes por falta de repasse dos recursos federais.

Perda lamentável

Amigos e familiares se despediram do ex-deputado Waldemar Borges Filho, que faleceu ontem aos 93 anos por causas naturais. “Mesmo sem mandatos, ele sempre exerceu um forte papel político em Pernambuco”, lamentou o presidente do PSB, deputado Sileno Guedes.

Tomou gosto

O advogado Paulo Abou Hana se destaca no mundo jurídico já faz tempo, gosta de debates políticos e, pelo visto, vem se interessando em disputar um mandato de vereador do Recife. Filho do saudoso jornalista Samir Abou Hana, Paulo herdou o dom da oratória.

Lógica do PCdoB

Os comunistas aguardam como ficarão no debate eleitoral de 2024. Lembram que o PT terá Elias Gomes disputando em Jaboatão, no Recife a tendência é o grupo apoiar o prefeito João Campos (PSB) e a lógica seria uma candidatura do PCdoB em Olinda. Por enquanto, Luciana Santos é cotada para concorrer à Prefeitura da Marim dos Caetés, mas ainda não há tanta movimentação nesse sentido no campo da esquerda.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Publicidade