TSE nega recurso e confirma inelegibilidade de Jair Bolsonaro e Braga Netto

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Do Correio Braziliense

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou, por unanimidade, um recurso apresentado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro e o general Walter Braga Netto contra inelegibilidade aplicada pela corte. O caso foi analisado no plenário virtual e a sessão começou dia 26 de abril e se estendeu até a noite desta sexta-feira (3/5) pelo plenário virtual.

O TSE rejeitou embargos de declaração em Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) que analisava a situação de Bolsonaro e Braga Netto, que foram candidatos a presidente e vice nas eleições gerais de 2022. O Colegiado acompanhou o voto do relator, ministro Floriano de Azevedo Marques.

Ambos foram condenados por abuso de poder político e econômico praticado nas comemorações do Bicentenário da Independência, realizadas no dia 7 de setembro de 2022, em Brasília e no Rio de Janeiro. O plenário também manteve a aplicação de multas no valor de R$ 425.640,00 a Bolsonaro e de R$ 212.820,00 a Braga Netto, pela prática de conduta vedada a agente público.

Ainda está em análise um recurso que foi apresentado por Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF). A inelegibilidade aplicada tem prazo de oito anos, a partir do dia da eleição. O que significa que o ex-presidente não poderá participar das eleições de 2026, caso não consiga reverter o entendimento aplicado até agora.

MAURO CID

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a soltura do tenente-coronel Mauro Cid, preso acusado de articulação envolvendo a trama golpista que resultou nos ataques de 8 de janeiro de 2023. A determinação de Moraes autorizando a libertação ocorreu nesta sexta-feira (3/5).

Mauro Cid firmou um acordo de colaboração premiada com a Polícia Federal e o Supremo. No entanto, o acordo está em análise, após vazarem áudios de Cid relatando suposta pressão da PF para que ele desse informações atendendo supostos interesses.

Mauro Cid deu detalhes sobre a elaboração de uma minuta golpista, sobre a venda, no exterior, de joias sauditas que estavam sob guarda da Presidência durante a gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro. Ele também deu detalhes sobre o envolvimento do ex-presidente com tentativas de descredibilizar e alterar o resultado das eleições.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade