Secretaria de Saúde garante que Hospital da Mulher do Agreste será referência

Foto: Reprodução

O Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco (Coren-PE) divulgou nota, nesta terça-feira (30), sobre a preocupação a respeito do fechamento do Hospital Jesus Nazareno, em Caruaru, por decisão da Secretaria Estadual de Saúde. A assessoria enviou nota esclarecendo ao Blog Dantas Barreto que o novo Hospital da Mulher do Agreste será referência na região

NOTA

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) esclarece que os serviços da FUSAM serão alocados para o novo Hospital da Mulher do Agreste (HMA), que segue em construção em Caruaru, com previsão de entrega nos próximos meses.

A SES-PE reforça que é prioridade deste governo a descentralização dos serviços de saúde e que serão construídas, nesta gestão, cinco maternidades. A primeira delas é o Hospital da Mulher do Agreste, em Caruaru. O Hospital da Mulher do Agreste será a referência na assistência materno-infantil para a Macrorregião de Saúde II, no atendimento à saúde da mulher e na saúde perinatal – incluindo o atendimento especializado de urgência e emergência em ginecologia e obstetrícia, dispondo de UTI Materna, Enfermaria de Gestação de Alto Risco, Serviço de Medicina Fetal, Enfermaria de Ginecologia, UTI e UCI Neonatal, Enfermaria Canguru, com laboratório interno 24h e atendimento especializado, como também em caráter ambulatorial nas mais diversas especialidades da ginecologia e obstetrícia, quer sejam pré-natal de alto risco, medicina fetal, ginecologia endócrina, infanto-puberal, patologia cervical, imaginologia especializada para as mais diversas patologias ginecológicas através de ultrassonografia e ressonância magnética, cirurgia ginecológica geral e endoscopia, ginecológica, serviço de mastologia com equipamentos de Mamografia, Ultrassonografia e Ressonância Magnética Nuclear das mamas, além das cirurgias mamárias.

A SES-PE destaca que vem se empenhando em traçar estratégias para o melhor funcionamento de toda a rede de saúde, incluindo a rede materno-infantil. Formadas por profissionais técnicos, equipes da Secretaria-Executiva de Atenção à Saúde (SEAS), por meio da Diretoria Geral de Assistência Integral à Saúde (DGAS), têm monitorado as maternidades do estado e buscado identificar as melhores ações para potencializar a interiorização e a regionalização no acesso aos serviços.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade