Lula aponta conluio, faz desabafo, ataca Bolsonaro e critica empresários em Suape

Foto: Sandy James/DP

No discurso que fez no ato de lançamento do Trem 2 da Refinaria Abreu e Lima (Rnest), o presidente Lula falou da importância do empreendimento para o Brasil, Pernambuco e na geração de empregos. Mas tomou boa parte do tempo para desabafar contra os adversários, o ex-presidente Jair Bolsonaro, juízes, promotores, pastores, empresários e os Estados Unidos. Na sua visão, foi esse jogo que causou a paralisação da obra na Rnest, e os desdobramentos das denúncias o levaram à prisão. Porém, com seu retorno à Presidência, a construção está sendo retomada e o prazo de conclusão é 2028.

Ele referiu-se à Operação Lava Jato, que começou, justamente, com denúncias de corrupção envolvendo a refinaria pernambucana. O projeto completo foi orçado inicialmente em US$ 2 bilhões e teve apenas a metade concluída com gastos na casa dos US$ 19 bilhões.

“Tive as contas aprovadas, quando saí da Presidência. Cinco anos depois começaram as denúncias. A história ainda vai ser contada, mas vai dizer uma coisa. Tudo que aconteceu foi com juízes, procuradores mancomunados com os Estados Unidos, que não queriam refinaria no Brasil… Uma elite com outros interesses e nenhum interesse no País”, disparou Lula.

Mais adiante, disse: “Os pastores que mentiram ao meu respeito, sabem que estão mentindo em tudo. Sabem que Deus está vendo e isso faz parte de um jogo sórdido”.

Lula seguiu com o desabafo, falando que poderia ter se candidatado a presidente, em 2014, mas Dilma Rousseff tinha direito à reeleição. “E começou todo o processo. Não deveria estar contando isso aqui porque estou de volta à Presidência e quem denunciou está apodrecendo”, falou.

O presidente disse que 2023 foi o ano da recuperação, de limpar a terra e plantar. “E a primeira colheita é a Rnest”, ressaltou, lamentando o fato de, no período da paralisação da obra, ter havido desemprego, perdas de salários e de desenvolvimento. “Chegamos ao ponto de termos um psicopata na Presidência, alguém que vive da mentira, que acha que todo mundo é ladrão, comunista, como se ele e seus filhos sejam exemplos de família”, assinalou, em referência a Jair Bolsonaro.

As críticas aos empresários foram em referência à prorrogação da desoneração da folha de pagamentos, que Lula é contra, mas o ministro da Fazenda, Fernando Hadda, está cedendo aos apelos. O presidente questionou sobre quais as contribuições dos empresários com seus lucros na vida dos trabalhadores.

Em relação ao Trem 2 da Rnest, o presidente Lula destacou que será a segunda maior refinaria da Petrobras, mais moderna das Américas e que terá um faturamento de R$ 100 bilhões ao ano com a produção de diesel S-10. Além de estar preparada para, no futuro, produzir combustíveis limpos, como hidrogênio.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Publicidade