Hospital Barão de Lucena divulga nota sobre pedido de interdição do Cremepe

O Hospital Barão de Lucena (HBL) segue firme no desenvolvimento de estratégias e adotando medidas para manter a assistência e o cuidado aos pacientes, o que pode ser claramente evidenciado pelo quantitativo de atendimentos diários registrados pela unidade, nas mais variadas clínicas.

Além disso, com o objetivo de comunicar de forma transparente e consciente aos usuários, a direção reforça que em nenhum momento cirurgias foram suspensas por falta de insumos. Também confirma, através da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE), que recebeu do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), nesta quinta-feira (18/01), uma notificação de interdição ética parcial da unidade.

A direção afirma ainda que aquilo que foi alvo do documento de interdição do Cremepe já havia sido uma decisão tomada pela direção do hospital em consonância com os médicos. Inclusive já havia sido informado ao Conselho.

No entanto, reafirma que existe na unidade uma força-tarefa para otimizar a utilização do estoque disponível e agilizar a compra de insumos para evitar o desabastecimento na unidade. Ressalta ainda que, conforme comunicado divulgado na última quarta, o redimensionamento das cirurgias eletivas da unidade faz parte das ações propostas pela gestão.

A Direção da unidade reitera que, em consonância com os prazos de abertura do orçamento do estado, estará dando início às aquisições de insumos referentes ao ano de  2024, visando o pleno atendimento da população.

Por fim, reitera os termos do comunicado emitido na última quarta-feira (17/01):

COMUNICADO

A diretoria do Hospital Barão de Lucena, vinculado à Secretaria Estadual de Saúde, informa que os atendimentos na urgência e emergência estão mantidos normalmente na unidade, além dos procedimentos eletivos de cirurgia vascular e oncológicos.

Uma força-tarefa já foi montada para otimizar a compra de insumos e evitar o desabastecimento no HBL. A diretoria decidiu na data de ontem (16/01) que casos específicos de cirurgias eletivas de baixa e média complexidade estão sendo reavaliados e se for necessário pacientes serão redirecionados para outras unidades da rede de saúde.

A diretoria informa ainda que a decisão não afetará a assistência a estes pacientes e que com a regularização dos estoques o atendimento das eletivas será normalizado.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade