Golpe ainda na memória

O golpe militar de 1964 completa 60 anos. Mas é bom lembrar que, em abril de 2025, também teremos a marca dos 40 anos do fim da ditadura, quando foi eleito um presidente civil através de votação indireta. É certo que quem governou foi José Sarney, um velho aliado dos militares. Tancredo Neves era o salvador da Pátria daquele momento, porém faleceu e o então vice-presidente assumiu. Mas antes dessa eleição de um civil, foram duas décadas que não podem ser esquecidas para que não voltem a repetir. Muita gente não sentiu na pele os efeitos e consequências. Muita gente ganhou dinheiro e se deu bem na política. Muita gente não tomou conhecimento dos horrores da ditadura e não percebeu os vários tipos de censura que foram impostos, durante 20 anos. Talvez isso tenha acontecido porque os generais tenham montado uma estratégia para mostrar o lado bom do regime, na economia e até mesmo permitindo eleições para deputados, senadores e prefeitos nas cidades do interior. Fizeram parecer que tudo estava muito bem, enquanto nos porões e cadeias o pau cantava no lombo de quem era contra. E, recentemente, quando estamos prestes a completar 40 anos do fim do golpe militar, teve gente que articulou e até defendeu um novo golpe por não aceitar o resultado da eleição de 2022. Lula e Jair Bolsonaro eram as melhores opções? Bem, o resultado das urnas foi apertado e o País continua dividido nas opiniões, mas nada se compara a uma ditadura.

BR-423 pode entrar na agenda

Na agenda oficial do presidente Lula em Pernambuco, na próxima quinta-feira, tem as entregas da Adutora do Agreste, em Arcoverde, e da Hemobrás, em Goiana. Mas Garanhuns poderá ser incluído no roteiro. Lula tem a intenção de dar a ordem de serviço da duplicação da BR-423. Ele aguarda retorno para saber se todas as pendências serão resolvidas até a data da viagem.

João foi convidado

O prefeito do Recife, João Campos (PSB), foi convidado pelo Palácio do Planalto para acompanhar o presidente Lula em todas agendas que terá em Pernambuco. Evidentemente que o socialista não perderá a oportunidade e deverá seguir junto com a comitiva oficial.

A conta é alta

O líder do Governo, deputado Izaías Regis (PSDB), alerta os policiais militares e bombeiros que o Estado não tem recursos para extinguir as faixas salariais no curto prazo, como eles querem. “A governadora Raquel Lyra vai acabar com as faixas, mas é uma conta de R$ 1,2 bilhão”, ressaltou.

Curso sobre eleições

Quem quiser tirar dúvidas sobre a legislação eleitoral pode participar do curso que acontecerá, no dia 24 de abril, com os advogados Pablo Bismack e Marcelo Cumaru e o jornalista político Edmar Lyra. Inscrições podem ser feitas no https://www.sympla.com.br/eleicoes-2024—saiba-o-que-esta-valendo__2378718

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade