Expectativa positiva

A expectativa é grande para a chegada do presidente Lula a Pernambuco, amanhã, em relação aos anúncios das obras do segundo trem da Refinaria Abreu e Lima e da Escola de Sargentos do Exército. A continuidade do projeto da refinaria é uma promessa desde quando Lula era presidente, tempos atrás, e seus sucessores não levaram adiante. Parece que agora vai sair do papel. E como disse ontem a governadora Raquel Lyra (PSDB), enfim a Escola de Sargentos também vai virar realidade, apesar dos protestos dos ambientalistas. Raquel vai, inclusive, participará das agendas do presidente para estar junto de cada anúncio que ele fizer. Ao falar com a imprensa sobre a importância desses dois projetos, Raquel fez questão de agradecer a atenção dada pelo Palácio do Planalto. “A gente vai sempre reiterando e agradecendo o volume de investimentos que Pernambuco tem recebido do Governo Federal”, ressaltou. Ontem, a governadora entregou 12 viaturas de auto resgate ao Corpo de Bombeiros e, novamente, destacou que foi em parceria entre o Governo do Estado e Governo Federal, através do Fundo Nacional de Segurança Pública.

Vice dos sonhos

Geralmente se diz que o melhor vice é quem tem voto ou financie ou não conspire. Mas o prefeito de Santa Maria da Boa Vista, George Duarte (PP), quer tudo numa só pessoa e algo mais, na hora de escolher quem vai compor sua nova chapa. “Tem que ser um vice que agregue, que some, que tenha votos e de confiança”, avisa. A vice Drª Elivânia (UB) continua na disputa.

200 anos

No próximo ano, o movimento separatista conhecido por Confederação do Equador, que aconteceu em Pernambuco, completará 200 anos. A vice- governadora Priscila Krause está à frente da comissão que organiza a comemoração, com apoio da sua assessora Tereza Duere.

Livro de ativista

A ativista Goretti Queiroz lança à noite o livro Hanna sobre sua história na causa animal até conquistar o mandato de vereadora do Recife. Hoje é aniversário da autora e Dia do Protetor Animal. Noite de autógrafos será na Fundação Café e Cultura, na Tamarineira.

Choque de realidade

A ministra dos Povos Indígenas, Sonia Guajajara, admitiu que a situação do povo Yanomami é de difícil solução. “Devido a toda a complexidade, as ações realizadas até agora não foram suficientes para restabelecer tudo que precisa. Assim como foram décadas de invasão para chegar a este ponto, pode levar décadas para restabelecer tudo”, afirmou.

Você pode gostar:

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Destaques

Publicidade

Posts Populares

Publicidade